O golpe fatal da classe política

Por Edison da Silva Jardim Filho


Fui instado, pelo meu amigo, economista em Florianópolis, Hamilton Bernardo, a escrever este artigo enfocando as propostas de reforma política apresentadas pelo relator da comissão especial criada pela Câmara Federal, o deputado gaúcho pelo PT, Henrique Fontana. 

Os dois pontos mais retumbantes do relatório do deputado são a instituição do que ele chamou de “sistema proporcional misto”, e o financiamento das campanhas eleitorais exclusivamente com dinheiro público. Por esse “sistema proporcional misto”, o eleitor votaria duas vezes: primeiro, em uma das listas fechadas de candidatos compostas pelos partidos políticos; e depois, em um dos candidatos, como hoje já acontece (é o sistema proporcional). O nome atribuído pelo deputado ao sistema eleitoral que criou, visa dissimular, na reforma política, o real sistema que vigorará, o qual, junto com o financiamento público eleitoral, são as meninas dos olhos do ex-presidente Lula. Trata-se do sistema da lista partidária fechada.

Com as duas propostas, o que os deputados federais e senadores pretendem aprovar é a redução, pela metade, do poder do povo de eleger, diretamente, os seus representantes nas casas legislativas, e, ao mesmo tempo, impor a toda a população o ônus financeiro do jogo político-eleitoral, mesmo havendo a certeza, tão cristalina quanto a luz do sol num começo de manhã de verão, de que a corrupção continuará buliçosa como sempre esteve nos últimos tempos no Brasil. As cúpulas e oligarquias partidárias, que reinam absolutas no plano político, uma vez votadas as duas propostas, além de aprofundarem o seu poder nessa esfera, ainda se transformariam em controladoras de fenomenais caixas partidários, agora fornidos, mais torrencialmente do que já o são, de dinheiro público. O financiamento público eleitoral exclusivo só teria cabimento se os nossos partidos políticos fossem (vejam o paradoxo!) democráticos.

E isso com o mesmo descaramento com que os deputados federais acabaram de impedir, pelo acachapante escore de 265 a 166 votos, e 20 abstenções, a cassação, por falta de decoro parlamentar, do mandato da deputada pelo Distrito Federal, Jaqueline Roriz, filmada recebendo propina no esquema conhecido como “mensalão do DEM” (os beneficiários, em todo o país e também em Santa Catarina, dessa roubalheira do erário, bandearam-se para formar o Partido Social Democrático).

E isso com o mesmo descaramento com que o relator do projeto do novo Código Florestal, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, o senador catarinense pelo PMDB, Luiz Henrique da Silveira, acabou de apresentar, redigido a toque de caixa, relatório no qual ignorou, por completo, todas as contribuições dos cientistas e especialistas ouvidos, bem como as sugestões do conjunto de ex-ministros do Meio Ambiente, e, em contrapartida, recepcionou, sem pestanejar, as propostas ditadas por uma das fontes mais substanciosas de financiamento eleitoral: os grandes empresários do setor do agronegócio.

Tudo o que consta deste texto já foi abordado e denunciado pelos maiores jornalistas, sociólogos, filósofos e cientistas políticos brasileiros. Mas o que pode ser inédito é a constatação de que, passado tanto tempo da instalação das comissões especiais da Câmara Federal e do Senado, ainda não vi publicados, nos jornais de Santa Catarina, artigos escritos pelos nossos deputados federais e senadores, defendendo e atacando esse ou aquele item da reforma política. De um lado, deve ser porque uma grande parte deles não sabe escrever; e, de outro, porque são, mesmo, contrários ao único sistema eleitoral capaz de produzir efeitos positivos imediatos nesta pseudo-democracia, que eles querem perpetuar para o seu usufruto deleitoso: o voto distrital puro. Não pode haver direito mais sagrado dos cidadãos brasileiros e catarinenses do que saber o que pensam os seus representantes sobre matérias tão importantes como as da reforma política. Leiam a revista “Veja” desta semana! 


fonte: http://cangarubim.blogspot.com

COMENTÁRIOS

Nome

Artigo Artigos Atualidade Ciências Comportamento Contas Publicas Corrupção Cotidiano Curiosidades Economia Eleições Emancipação Emancipações empresários Entrevista Esporte Futebol Americano Justiça Lava-Jato Municípios Policia Politica Política Politica Internacional Politica Local Previdencia Reforma Politica Reforma Política Saúde Seca Segurança Tragedia Turismo Universo
false
ltr
item
Blog do Farias: O golpe fatal da classe política
O golpe fatal da classe política
http://4.bp.blogspot.com/-35-DymEXeHw/TmthUp8xXfI/AAAAAAAAAcY/YT5UKiviAhc/s320/partidos-pol%25C3%25ADticos.jpg
http://4.bp.blogspot.com/-35-DymEXeHw/TmthUp8xXfI/AAAAAAAAAcY/YT5UKiviAhc/s72-c/partidos-pol%25C3%25ADticos.jpg
Blog do Farias
http://emancipaceara.blogspot.com/2011/09/o-golpe-fatal-da-classe-politica.html
http://emancipaceara.blogspot.com/
http://emancipaceara.blogspot.com/
http://emancipaceara.blogspot.com/2011/09/o-golpe-fatal-da-classe-politica.html
true
4216968732743182172
UTF-8
Nenhum post encontrado VER TUDO Ler mais Responder Cancelar resposta Excluir Por Home PÁGINAS POSTS Ver Tudo Recomendado pra você ETIQUETAS ARQUIVO SEARCH TODOS OS POSTS Nenhum post encontrado Back Home Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para desbloquear Copiar Código Completo Selecionar Código Completo Todos os códigos foram copiados para sua área de transferência Não foi possível copiar os códigos / textos, por favor pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C com Mac) para copiar